14.6.17

Seguindo o fio da respiração.
Claire Fressynet 
Na biblioteca da junta de freguesia da estrela. 
04\05\2017

Vejam como eu respiro. Um fio de ar que é simultaneamente um traço. Todo o corpo entra na construção do desenho ganhando forma sobre a folha de papel. Cada imagem desenhada é como uma posição do corpo. Será que tudo isto é um yoga de papel, frágil e subtil?
Recomecemos… Costas direitas, olhos fechados, ainda sem desenhar. O corpo dá o sinal de partida e a mão ensinada repete a forma, traçando. O tempo faz parte do desenho, sem pressa, adivinhando contornos.
Inspira, expira. Lá vai a mão, segurando o pincel, inscrevendo. A invenção de novos caracteres que falam da presença do corpo…o corpo da artista. Talvez uma escrita coreográfica…
Nova respiração. A mão paira sobre o papel de arroz sem lhe tocar, num movimento antigo, ágil e continuado. As formas que vão surgindo em sequência parecem iguais. Mas não o são. As ondas do mar nunca rebentam da mesma maneira sobre a areia. O nosso corpo nunca é exato na repetição do gesto.

























Enregistrer un commentaire